Minas Gerais recebe 54 médicos cubanos para recompor o Programa Mais Médicos no Estado

Quatro deles irão trabalhar no Triângulo Mineiro, em Uberlândia e Monte Carmelo

Por Admin 26/06/2017 - 14:51 hs
Foto: Marcus Ferreira / SES-MG
Minas Gerais recebe 54 médicos cubanos para recompor o Programa Mais Médicos no Estado
Foto: Marcus Ferreira / SES-MG

Na manhã desta segunda-feira (26/6), 54 médicos cubanos, que irão recompor o Programa Mais Médicos, em Minas Gerais, desembarcaram no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

A superintendente de Atenção Primária à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Ana Paula Medrado, explica que essas médicas e médicos irão recompor o quadro de profissionais de 42 municípios mineiros que solicitaram a manutenção do Programa. Quatro desses profisionais atuarão na região do Triândulo Mineiro, sendo três em Uberlândia, e um em Monte Carmelo.

“Antes de desembarcar em Belo Horizonte, esses profissionais passaram por um período de acolhimento, em Brasília, e receberam capacitação voltada para o nosso Sistema Único de Saúde. Todos eles são profissionais com formação em medicina preventiva e estão prontos para atuar nas Unidades Básicas”, afirma Ana Paula Medrado.

A previsão é que outros 22 profissionais desembarquem nos aeroportos mais próximos ao municípios onde atuarão, na próxima quarta-feira (28/6), totalizando, dessa forma, 76 médicos.

Confira aqui a lista de municípios que receberão os 76 médicos cubanos, do Programa Mais Médicos: www.saude.mg.gov.br/component/gmg/story/9543


O Programa

Criado em julho de 2013, o Programa Mais Médicos objetiva não só enfrentar a escassez de médicos, que pode comprometer a promoção de um Sistema Único de Saúde (SUS) mais justo e equânime, mas também de possibilitar um melhor desenvolvimento da Atenção Básica no país.

Dessa forma, o Programa recruta profissionais graduados no Brasil e fora do País, brasileiros e estrangeiros, para atuar nas áreas com maior necessidade e, assim, garantir à população o direito concreto ao acesso universal e de qualidade aos serviços de saúde.

Os profissionais que integram o Programa atuam na Atenção Básica, porta de entrada preferencial do SUS. De acordo com o Ministério da Saúde, é neste atendimento que 80% dos problemas de saúde são resolvidos.