Expocachaça gera R$ 46 mihões em negócios durante quatro dias de feira

27ª edição marcou um aumento de 20% no tamanho da feira que conseguiu atrair um público de 45 mil pessoas para o Expominas

Por Admin 15/06/2017 - 19:17 hs
Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG
Expocachaça gera R$ 46 mihões em negócios durante quatro dias de feira
Pimentel visitou estandes montados no Expominas, em Belo Horizonte. Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

De 8 a 11 de junho, Belo Horizonte foi palco da maior feira de cachaça do mundo. Considerada uma vitrine da bebida, a Expocachaça comememorou 20 anos de atividades, reunindo em sua 27ª edição um público de aproximadamente 45 mil pessoas durante os quatro dias de evento. Além de conhecer os principais produtores e as grandes marcas de cachaça do Brasil, o visitante conferiu uma programação eclética; entrenimento, gastronomia e negócios.

Segundo José Lúcio Ferreira, presidente da Expocachaça, nessa edição foram gerados R$ 46 milhões em negócios durante e após a feira com equipamentos negociados para o exterior e a vinda de empresas internacionais. Outro destaque da Expocachaça foi a 11ª. edição do Brasil Bier, o festival aconteceu dentro da feira e apresentou as principais microcervejarias do cenário nacional. Ao todo os visitantes puderam conferir aproximadamente 600 marcas de cachaças e 50 rótulos de cerveja.

Além de Minas Gerais, a 27ª edição da feira recebeu produtores de outros estados do país, dentre eles, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Alagoas, entre outros. Essa participação trouxe visibilidade para novas marcas e para a própria bebida que atualmente gera um montante de R$ 6 bilhões em vendas.

Mercado

Minas Gerais é destaque nacional na produção de cachaça artesanal com cerca de 8 mil pequenos alambiques que, juntos, produzem 230 milhões de litros da bebida por ano. A cadeia produtiva da cachaça responde por 86 mil empregos.

Cada vez mais, a cachaça tem ganhado espaço no mercado internacional. As exportações mineiras cresceram 11% em 2016, na comparação com 2015, passando de U$S 1,7 milhão (450 mil litros) para U$S 1,9 milhão (468 mil litros) neste período.

Para o presidente da Expocachaça, ao longo das últimas décadas o setor vem apresentado um grande crescimento. “Os alambiques estão cada vez mais tecnológicos e modernos, atingindo o mesmo nível de outros destilados ao redor do mundo. A qualidade do produto está cada vez melhor, assim como o controle dos processos, o que tem levado as nossas cachaças a disputar e ganhar prêmios importantes mundo afora”, explicou José Lúcio Ferreira.