Primeiro romance de Geraldo França de Lima completa 56 anos

Por Admin 02/06/2017 - 11:30 hs
Foto: Reprodução / Geraldo França de Lima e a capa da 5.ª edição de
Primeiro romance de Geraldo França de Lima completa 56 anos
Geraldo França de Lima e a capa da 5.ª edição de

"Serras Azuis" teve nome sugerido por Guimarães Rosa

O lançamento de “Serras Azuis”, primeiro romance do escritor araguarino Geraldo França de Lima, completa 56 anos nesta sexta-feira (02/06). O evento aconteceu na Livraria Da Vinci no Rio de Janeiro, com direito a discurso de homenagem proferido por Guimarães Rosa, seu amigo pessoal.

Segundo Daniel Castro, em matéria na Folha de S. Paulo, edição de 17/03/1998, a história de "Serras Azuis" renderia um livro à parte. Isso porque, em 1951, antes de ter sido terminado, o livro sumiu em uma viagem de ônibus ao Rio de Janeiro.

Ainda segundo Daniel Castro, três anos depois funcionários do escritor receberam uma série de telefonemas de uma "tal Eva", mas França de Lima não conseguia retornar as ligações - ninguém atendia do outro lado. Ele, então, descobriu na lista telefônica da época o endereço do telefone. "Era um ferro-velho. O meu livro estava lá, intacto, junto com as ferragens de um velho ônibus da viação Eva", contou o autor à época. Em 1959, o livro ficou perdido durante mais quatro meses, devido a um acidente de carro sofrido pelo que seria o primeiro editor.

Amigo íntimo de Guimarães Rosa, a quem chamava de "irmão", França de Lima temia desapontá-lo.

Até que, em 1959, Rosa descobriu os originais de “Uma Cidade na Província” na escrivaninha do escritório de França de Lima, em seu apartamento no Rio de Janeiro. Dois dias depois, às 2h da manhã, o autor de "Grande Sertão: Veredas" telefonou para a mulher de França de Lima, Lygia, e teria lhe dito: "Ou muito me engano ou estou na frente de um grande romancista".

O próprio Guimarães Rosa tratou de cuidar da publicação. Em 2 de junho de 1961, a editora GRD lançava "Serras Azuis" - o título foi a única mudança sugerida por Guimarães Rosa. 

Desde então, Geraldo França de Lima não parou mais de escrever. Nem mesmo uma isquemia, que o deixou cego o impediu de continuar. "Eu dito e a minha mulher escreve", contava . E assim, até sua morte, em 22 de março de 2003, 14 obras vieram a compor sua rica bibliografia, grande parte considerada "clássicos". O último livro, “O sino e o som”, veio em 2002.

Novela

O argumento de "Serras Azuis" é inspirado em uma tragédia, o "Conflito", que de fato aconteceu, em 1892, em Catalão (Goiás). Duas famílias tradicionais, os Paiva e os Roldões, decidem se unir pelo casamento. Mas um incidente as leva a travarem uma batalha sangrenta. Sobrevivem poucos. E dois deles, 20 anos depois, vão se apaixonar. Paralelamente, o livro narra as disputas políticas entre o coronel Eleodegário (inspirado no ex-governador mineiro e ex-ministro da Justiça Bias Fortes, tio da mulher de Geraldo França de Lima) e o médico Rivaldino Paleólogo (inspirado no chefe da família Andrade). 

"Serras Azuis" foi um sucesso de crítica - que o classificou como "clássico”. Ao longo dos anos, a obra ´foi traduzida e ganhou edições em inúmeros países. No Brasil, foi reeditada seis vezes.

Em 1998, o romance virou telenovela produzida e exibida pela TV Bandeirantes, entre 22 de junho e 4 de dezembro daquele ano.

A obra foi adaptada para a televisão pela escritora e autora de novelas Ana Maria Moretzsohn, com colaboração de Maria Cláudia Oliveira, Daisy Chaves e Izabel de Oliveira, com direção de Nilton Travesso, Paulo Figueiredo e Tarcísio Filho. Teve 120 capítulos e foi protagonizada por elenco de primeira grandeza, formado por Petrônio Gontijo, Adriana Londoño, Joana Fomm, Leonardo Villar, Ítalo Rossi, Eriberto Leão, Bete Coelho John Hebert, Cláudio Mamberti e Denise Del Vecchio, entre outros, 

A novela teve uma média de 6 a 7 pontos de audiência, um verdadeiro sucesso na época, e ganhou reexibição de 1.º de agosto de 2011 a 12 de janeiro de 2012 pela TV Diário, rede de televisão regional sediada em Fortaleza (CE).

Bibliografia completa de Geraldo França de Lima:

Serras azuis, romance (1961);

Brejo alegre, romance (1964);

Branca Bola, romance (1965);

Jazigo dos vivos, romance (1969);

O nó cego, romance (1973);

A pedra e a pluma, romance (1979);

A herança de Adão, romance (1983);

A janela e o morro, romance (1988);

Naquele Natal, romance histórico (1988);

Rio da vida, romance (1991);

Folhas ao léu, contos (1994);

Sob a curva do sol, romance (1997);

Os pássaros e outras histórias (1999);

O sino e o som (2002).