Em Foco

Postagens recentes

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Inocêncio Nóbrega: Um mineiro na revolução


Inocêncio Nóbrega
Jornalista
inocnf@gmail.com

Marquês de Marialva estava a caminho da Áustria, na busca de uma noiva para D. Pedro, enquanto a Coroa intensificava sua pressão política e espoliação econômica sobre o Brasil. Ao mesmo tempo a população brasileira começava a impacientar-se, principalmente a de Pernambuco, governado pelo capitão-general Caetano de Miranda Montenegro. No mês de março eclodiu em Olinda-Recife o movimento armado, que a história o consagrou como REVOLUÇÃO DE 1817, ao ser lançado, no dia 6, Manifesto, explicando os motivos da rebeldia. Evidentemente teve caráter efêmero, cerca de dois meses, o bastante para sinalizar, mais uma vez, a insatisfação do nosso povo e a consagração dos ideais republicanos.






Rapidamente se espalhou pelas demais capitanias da região. No Ceará, a Vila do Crato ergue-se em República.  Padres, comerciantes, militares, participam da conjuração. Com igual velocidade é cruelmente sufocada pelas armadas do regime monarca. Muitos são presos e remetidos para as masmorras da Bahia, havendo seus bens sequestrados.  Perdoados, voltam três anos depois. Tribunal da Alçada sentencia à forca ou fuzilamento treze heróis.  Da Paraíba, a 21.08.1821, três deles sobem ao cadafalso, armado no Campo do Erário, Recife, e aí executados: Amaro Gomes Coutinho, José Peregrino Xavier de Carvalho, o Tiradentes da Paraíba, e Francisco José da Silveira.

A respeito deste último, em livro do historiador paraibano Irineu Pinto o encontramos como Tenente-coronel de Cavalaria, Adido ao Estado Maior do Exército e Ajudante de Ordens do Governo de M. Grosso. Uma vez transferido para a Paraíba aí exerceu o mesmo posto, passando a constituir um Triunvirato. Democrata convicto, torna-se intimorato revolucionário. A ele se refere como natural das alterosas, não trazendo maiores detalhes biográficos. Apesar do cognome “José”, podemos admiti-lo, analisando-se determinados parâmetros, como haver nascido na cidade de Formiga-MG, em 1779, 7º filho do Alferes Domingos Antonio da Silveira, português, e Ana Rosa de Faria. São dados do escritor e genealogista José F. Paula Sobrinho, no 8º vol., onde está a descendência de seus progenitores, não esclarecendo, contudo, a situação conjugal de José Antonio da Silveira. Ambos militares, possuindo a mesma têmpora do latente inconformismo.

Até o momento não temos notícias das comemorações dos 200 anos da também conhecida por Revolução Pernambucana. Institutos Históricos da Paraíba e órgãos de cultura, pelo menos do nordeste, devem  lembrar a efeméride e esses mártires pela nossa Independência, não se eximindo de divulgá-la para o restante do Brasil. Um ato de nacionalidade.
Aloisio Nunes de Faria

Aumenta a procura pelo serviço Celular Seguro da Polícia Militar

Desde que foi lançado, em agosto do ano passado, pela Polícia Militar, site mais que triplica o número de cidadãos cadastrados e supera 150 mil visualizações    

Pouco mais de seis meses após ser apresentado como estratégia da Polícia Militar de Minas Gerais, o programa Celular Seguro segue em ritmo de expansão. Prova disso é o salto de 11 mil pessoas cadastradas, na época do lançamento (24 de agosto de 2016), para mais de 36 mil usuários e quase 36.500 celulares incorporados nesses registros.






Idealizado pelo 48º Batalhão da Polícia Militar de Ibirité, o projeto abre um novo raio de busca para casos de furto e roubo de telefones celulares. Para tanto, a ferramenta se baseia na tecnologia de rastreamento dos números de identificação de cada aparelho - IMEIs (International Mobile Equipment Identity) - cadastrados no site pelos próprios cidadãos.

O sistema do Celular Seguro incentiva as pessoas a, entre outros pontos, conhecer e efetivamente utilizar a forma de rastreamento que vem em cada telefone celular. A utilização do site, vale lembrar, não é restrita a quem teve o aparelho móvel furtado ou roubado. É, ao contrário, uma válida estratégia preventiva, já que, com os dados já inseridos na ferramenta, agilizam-se também as ações de localização em caso de posterior furto ou roubo.

​"Os acessos ao site para obtenção de informações ultrapassaram a marca de 150 mil visualizações, sendo que as consultas sobre aparelhos furtados/roubados chegaram a 13 mil", destaca o comandante do 48º Batalhão, tenente coronel Hércules Freitas.

Pelo interior

O alcance do Celular Seguro, com a ampliação dos procedimentos para diversas outras unidades da PMMG, segundo o comandante Hércules Freitas, chegou a 35 cidades mineiras, com perspectiva de continuar expandindo para todo o estado.

“Um dos passos importantes para o efetivo funcionamento do Celular Seguro é o procedimento operacional dos policiais militares que, a partir da implantação do sistema em sua unidade, passam a realizar as consultas dos IMEI de celulares em poder de pessoas suspeitas abordadas. Tal metodologia vem sendo treinada em cada novo Batalhão que inicia a utilização do sistema”, explica.

Segundo o tenente coronel, diversos municípios já receberam o treinamento básico do 48º BPM e estão utilizando o dispositivo. “A repercussão tem sido a melhor possível, a partir do momento que se apresenta uma nova ferramenta de prevenção criminal às pessoas. A facilidade de contato com a comunidade em municípios menores também tem sido explorada para aumentar o conhecimento do projeto”, aponta.

Foi justamente no interior que nasceu a ideia do Celular Seguro, mais especificamente em Ibirité e demais cidades atendidas pelo 48º batalhão (Sarzedo, Mário Campos e Brumadinho). Desde agosto de 2016, inclusive, considerada a área de abrangência dessas cidades, foram recuperados 13 telefones celulares e registradas sete ocorrências em crimes de receptação e roubo.

Entre os atendidos pelo Celular Seguro está o morador de Sarzedo, o mecânico Wanderson Soares. Ele teve o celular furtado há aproximadamente dois anos e meio, enquanto buscava o irmão em uma festa. No meio de uma briga no local, pessoas se aproveitaram da confusão e levaram sua carteira e o telefone. “A carteira consegui recuperar na época, mas, infelizmente, o celular não”, conta Soares.

Quando ficou sabendo do projeto Celular Seguro, Wanderson contou com a própria Polícia Militar para fazer o seu cadastro. Depois disso, foi bastante rápida a localização. “Eu fiquei bastante feliz com o programa deles. Se fosse dar uma nota de 0 a 10, seria 10, foi um trabalho incrível. Após conhecer o Celular Seguro, recomendei para outras pessoas, divulguei no Facebook”, destaca o mecânico, que aguarda a liberação final da Polícia Civil para ter de volta o seu aparelho que foi localizado.

Cadastro

Para se cadastrar, toda e qualquer pessoa precisa informar apenas dados pessoais, e-mail, telefone principal e dados do aparelho celular, como marca, modelo e o código IMEI (Para descobrir o código e-mail de cada chip, digite *#06# em seu telefone móvel). Com estas informações, os usuários podem alertar o furto ou roubo de celulares, além de gerenciar seus dados quando necessário.

Todos os cidadãos cadastrados no Celular Seguro e que indicaram o roubo/furto no sistema, são comunicados em caso de localização dos aparelhos. Como o banco de dados é unificado, reforça o tenente coronel, “todas as informações são compartilhadas entre as Unidades que participam do Celular Seguro. Dessa maneira, a atuação ocorre de forma coordenada entre essas Unidades da PM”, afirma.

Cabe ressaltar que, conforme orientação da Polícia Militar de Minas Gerais, mesmo com o cadastro no sistema, o cidadão vítima de furto/roubo de celular ainda deve fazer o registro do Boletim de Ocorrência.

Em números

No próprio site Celular Seguro, a Polícia Militar informa que, no Brasil, três em cada dez pessoas possuem um smartphone. São 280,7 milhões de celulares no país, sendo mais de 26 milhões somente no território mineiro. Além disso, o Brasil é o segundo país com o maior número de dispositivos roubados por ano.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Minas Gerais registrou, em 2016, de janeiro a novembro, 59.849 roubos e 46.650 furtos de telefone celular.

Além das ferramentas tecnológicas, algumas medidas de proteção devem ser consideradas pelas pessoas, sobretudo para evitar problemas. A atenção deve ser redobrada ao usar os aparelhos, por exemplo, em locais e horários de pouco movimento de pessoas. Relembre, a seguir, algumas dicas de segurança da Polícia Militar para esses casos:

Fonte: Celular Seguro/Polícia Militar de Minas Gerais

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Programa de Revitalização e Modernização do Distrito Industrial de Araguari elege prioridades


Representantes das instituições que compõem a governança local do Programa de Revitalização e Modernização dos Distritos Industriais de Minas Gerais reuniram-se nessa sexta-feira (10), na sede da Associação Comercial e Industrial de Araguari (ACIA). O encontro foi coordenado pela engenheira de produção Natália Moreira de Paoli, gerente de Distritos Industriais da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (CODEMIG), e teve como objetivo debater e definir prioridades para o plano de ações do programa para o Distrito Industrial (DI) do município.





Entre as proposições apresentadas e aprovadas na reunião destaca-se a inclusão nas ações iniciais do programa de revitalização, fazer gestão junto à CEMIG para priorizar a definição de um plano de atendimento que venha suprir as reais necessidades das empresas do DI. De acordo com os empresários, constantes quedas no fornecimento de energia, entre outros problemas no abastecimento, têm prejudicado o desempenho da produção industrial, trazendo prejuízos às atividades das empresas.

Também foram consideradas para o planejamento das ações, questões relativas à telefonia, que é precária na região do DI, a recuperação de vias, o saneamento básico, a segurança, o transporte público e outros temas relacionados à infraestrutura e logística no setor.

Natália Moreira de Paoli, gerente de Distritos
Industriais da Codemig. 
Fotos: Divulgação/ACIA
De acordo com a representante da Codemig, Natália Paoli, estudo foi contratado e já se encontra em execução pela  Universidade Federal de Minas Gerais (UEMG), visando um novo projeto urbanístico para proporcionar melhor identificação das empresas e sinalização dos logradouros onde as mesmas encontram-se instaladas. O objetivo do estudo é criar uma identidade visual e marca para o Distrito Industrial.

Participaram do encontro, Juberson dos Santos Melo, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, representando a prefeitura municipal;  Reimar Coelho Ferreira, presidente do Núcleo das Empresas do Distrito Industrial de Araguari, órgão de cooperação e desenvolvimento institucional da ACIA; Leonardo Daher de Melo, vice-presidente da ACIA; e Mauro Sérgio de Ávila Cunha, membro do Conselho da FIEMG, além de representantes de empresas instaladas no DI.

Para o empresário Leonardo Daher de Melo, vice-presidente da ACIA, a reunião cumpriu parte importante do programa de revitalização, atendendo anseio antigo dos empresários do Distrito Industrial por melhorias e solução dos inúmeros problemas que enfrentam há tempos. “A ACIA participa e acompanha de perto a concretização das medidas do programa de revitalização, com a certeza de que em pouco tempo o Distrito de Araguari ganhará uma nova imagem de progresso e desenvolvimento no cenário econômico do estado e do país”, ressaltou. 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Telescópio russo de alta tecnologia começa a operar este mês em Minas Gerais


Da AGÊNCIA BRASIL
- O telescópio russo que está sendo montado no Observatório do Pico dos Dias, em Brazópolis (MG), começará a operar no fim deste mês. Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), o processo de montagem, que começou em novembro do ano passado, está na reta final.

O telescópio será voltado para o monitoramento de lixo espacial e para diagnosticar possíveis colisões com a Terra. A sua instalação é resultado de um acordo assinado em abril do ano passado com a Agência Espacial Russa, que se comprometeu com um investimento estimado em R$10 milhões. Em contrapartida, o Brasil ofereceria estrutura para operação do equipamento, além de arcar com os custos de energia e internet, entre outros.

A parceria faz parte da segunda etapa de uma pesquisa desenvolvida pela Rússia, que já tem em seu território um telescópio voltado para o mapeamento de lixo espacial. Os russo buscavam um parceiro do Hemisfério Sul e encontraram condições favoráveis no Observatório do Pico dos Dias, que é gerenciado pelo Laboratório Nacional de Astrofísica, vinculado ao MCTI.

A posição geográfica é um dos fatores que contribuiu para a escolha do local. Os telescópios no Brasil e na Rússia estarão em uma posição que possibilitará a captura de imagens complementares. Além disso, a região tem um céu que favorece a observação.

O Observatório do Pico dos Dias está situado a cerca de 1,8 mil metros de altitude. Ele já tem mais quatro telescópios. O equipamento russo será o mais avançado em funcionamento no Brasil. Com 75 cm de abertura, ele terá campo de visão mais abrangente e será capaz de mapear área maior que qualquer outro instalado em solo nacional.

Benefícios

Um dos benefícios da parceria para o Brasil é permitir que ele possa se preparar melhor para o lançamento de satélites, uma vez que terá dados mais detalhados dos percursos do lixo espacial. Há inúmeras peças grandes viajando na órbita da Terra e suas trajetórias precisam ser observadas para prevenir um impacto que pode ser destruidor. Atualmente, para colocar em órbita um novo equipamento, o Brasil precisa seguir recomendações da Nasa, a agência espacial norte-americana. No entanto, a agência não fornece informações detalhadas. Com o novo telescópio, haverá mais elementos para escolher a melhor órbita.

As imagens geradas pelo equipamento também vão contribuir com a pesquisa brasileira, favorecendo estudos sobre asteroides, cometas e estrelas. Todos os dados e fotos ficarão disponíveis para a comunidade científica. Os interessados precisarão fazer uma requisição ao Laboratório Nacional de Astrofísica.
Aloisio Nunes de Faria

Ana Maria Campana: As peneiras da vida

Ana Maria Campana (*)
Quantas vezes nos deparamos com situações alarmantes daquelas que nos ensejam a tomar providências urgentes.

O ímpeto nos leva a atitudes que, depois de repensadas, nos fazem até mesmo sentir arrependimento.

Li certa vez, que um homem se aproximou do filósofo ateniense Sócrates dizendo que precisava contar-lhe algo.

O filósofo então perguntou se o assunto passaria pelas três peneiras, isto é: pela verdade, pela bondade e pela necessidade.





Também me vejo assim diante de alguns fatos.

A mídia se encarrega de propagar todo tipo de assunto e muitos de nós, especialmente com as redes sociais, tratamos de disseminá-los. Isso é certo?

Tenho dúvidas. Nem tudo que lemos/ouvimos é verdade. Grande parte ao invés de conclamar a bondade em cada ser humano faz exatamente o contrário: incita a violência e a discórdia. E, por fim, penso eu: existe mesmo necessidade de tantas informações?

Certamente muitos dirão que sim, pois isso é democracia, mas lá no íntimo, pergunte a você mesmo: essas atitudes estão colaborando ou apenas movimentando o seu dia?

Cada qual tem seus problemas a resolver – que ultimamente não são poucos – mas mesmo assim muitos se dedicam a olhar o quintal do vizinho.

A sugestão para esse ano de 2017 é cada um pensar mais em si, em seu mundo particular e quando o assunto for relevante e passar pelas três peneiras, aí sim, deverá vir a público.

De nada adianta pregar uma coisa e fazer outra. Máscaras precisam e devem cair.

Pense nisso.
(*) Ana Maria Campana é jornalista. 
Artigo publicado originalmente no Jornal Amorim, edição Janeiro/Fevereiro de 2017

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Cobertura da rede de celular 3G em Araguari é ampliada

Base da antena instalada no Bairro Jardim das Hortências. Foto: Divulgação

Três novas antenas para fornecer o serviço de telefonia móvel com tecnologia 3G passaram a funcionar em Araguari, em janeiro deste ano.






Com a ampliação da cobertura, os usuários terão uma melhor experiência para navegar na internet pelo celular e também para realizar chamadas de voz.

As novas estruturas foram implementadas pela Algar Telecom e estão instaladas nos bairros Jardim Panorama, Jardim Interlagos e Jardim das Hortênsias, sendo que essa última se encontra na zona rural da cidade.

Segundo a empresa, no ano passado, outras três estruturas também foram implementadas.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Associação dos Cafeicultores de Araguari divulga programação da 22.ª edição da Fenicafé

A ser realizado de 21 a 23 de março, evento é destinado a apresentar aos produtores novas tecnologias, produtos e tendências da cafeicultura irrigada                                                                


A Associação dos Cafeicutores de Araguari (ACA) realizou nessa terça-feira (31), o lançamento da 22.ª edição da Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura (Fenicafé). O evento, realizado no espaço do Restaurante Caipirão, reuniu cafeicultores, empresários, autoridades locais e imprensa. 





A Fenicafé acontece de 21 a 23 de março, no Pica Pau Country Club. A feira apresenta aos produtores novas tecnologias, produtos e tendências da cafeicultura irrigada. Segundo a ACA, o volume de negócios previstos na feira é superior a R$ 35 milhões.

Promovido pela Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), o evento reúne em sua programação o Encontro Nacional de Irrigação da Cafeicultura do Cerrado, a Feira Nacional de Irrigação em Cafeicultura e o Simpósio de Pesquisa em Cafeicultura Irrigada.  Segundo a organização, serão aproximadamente 70 expositores.

Para Claudio Morales Garcia, presidente da ACA, o congresso apresenta todos os anos o que há de mais moderno no setor cafeeiro. “É um lugar para troca de experiências e de divulgação de novas técnicas de plantio, cuidados e colheita de um dos principais produtos produzidos no Brasil, o café”, ressaltou o presidente. 

Programação 

TERÇA-FEIRA - 21 DE MARÇO
08h00 – 10h00 – Inscrições e entrega de materiais
10h00 – 12h00 – Solenidade de abertura
14h00 – 15h00 – Qualidade do café brasileiro: o que temos para o mundo?
15h00 – 16h00 – Visita aos estandes parceiros – Coffee Break
16h00 – 17h50 – Palestra: Novos rumos da agricultura mundial Palestrante: Dr. Godofredo César Vitti – Esalq  / USP

QUARTA-FEIRA - 22 DE MARÇO - Simpósio Brasileiro de Pesquisa Cafeeira IRRIGADA.
08h30 – 09h00 – Abertura XIX SBPC-Irrigada
09h00 – 10h15 – Fontes de Nutrientes para a fertirrigação do cafeeiro – Dr. Edson Mattiello - UFV
10h15 – 10h45 – Visita aos estandes parceiros – Coffee Break
10h45 – 11h45 – Sistemas de irrigação para o cafeeiro inovações Tecnológicas – Dr. André Fernandes - UNIUBE
12h00 – 14h00 – Visita aos estandes parceiros e almoço
14h30 – 15h15 – Manejo Racional de Água na Cultura do Cafeeiro Irrigado por Gotejamento – M.Sc.Guilherme Oliveira Silva – FORBB Irrigação 
15h15 – 16h15 – Operação e manutenção de sistemas de Irrigação por gotejamento no café – M.Sc. Carlos Barth, Consultor Israel
16h15 – 16h45 – Visita aos estandes parceiros – Coffee Break
16h45 – 18h00 – Aspectos práticos da fertirrigação do cafeeiro Dr. Humberto Vinicius Vescove – Univ. Araraquara
18h00 – 19h00 – Visita aos estandes parceiros

QUINTA-FEIRA - 23 DE MARÇO
08h30 – 09h45 - Novas tendências da cafeicultura brasileira. José Braz Matiello – Mapa - Procafe
09h45 – 10h30 – Visita aos estandes parceiros – Coffee Break
10h30 – 11h45 – Fisiologia do cafeeiro para altas produtividades – Dr. Evandro Fagan - UNIPAM
12:h00 – 14h00 – Visita aos estandes parceiros e almoço
14h00 – 16h30 - Manejo prático e econômico para a colheita mecanizada do café Com debate de cafeicultores e técnicos. Dr. Felipe Santinato
16h30 – 17h00 – Visita aos estandes parceiros – Coffee Break
17h00 – 18h00 – Palestra – Nutrição Humana para alta performance – Dra. Alessandra Luglio – Nutricionista USP

Fonte: Ascom/ACA-Fenicafé 2017
Foto: Henrique Vieira
Mais fotos em 
https://goo.gl/photos/2EeVUZCLWgaYu2e79

Aloisio Nunes de Faria

Dependentes no IR a partir de 12 anos devem ter CPF, decide Receita

Da AGÊNCIA BRASIL - Os contribuintes brasileiros que desejarem incluir seus dependentes na declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017 terão de registrá-los a partir de 12 anos no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Até o momento, a obrigatoriedade era para dependentes a partir dos 14 anos.





A alteração está em instrução normativa da Receita Federal publicada hoje (1°) no Diário Oficial da União. Segundo nota da Receita, a mudança “reduz casos de retenção de declarações em malha [fina] e riscos de fraudes relacionadas à inclusão de dependentes fictícios”. Ainda de acordo com a Receita, a medida vai evitar a inclusão do mesmo dependente em mais de uma declaração.

A Receita Federal começa a receber a declaração do IRPF 2017 em 2 de março. Em 23 de fevereiro estará disponível para download o programa gerador da declaração no site do órgão. O prazo para entrega termina em 28 de abril.

Aloisio Nunes de Faria

Representantes de empresa multinacional de 13 países visitam Araguari


A Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA) recebeu em seu Campo Experimental Izidoro Bronzi a visita de 21 representantes da Penergetic, advindos de 13 países da Europa, Ásia, América Central e América do Sul. A comitiva foi recebida pelo presidente da ACA, Cláudio Morales, e pelo prefeito municipal, Marcos Coelho de Carvalho.






A Penergetic está presente em mais de 30 países em todo o mundo. No Brasil, tem sede na vizinha Uberaba. Seus produtos, fabricados na Suíca, atendem às necessidades básicas de solo, planta, animais e compostagem.

A programação da visita contou com palestra de André Fernandes, Pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Universidade de Uberaba (UNIUBE), realizada no próprio Campo Experimental.

Ao final do dia, a comitiva, presente no Brasil desde domingo, partiu rumo a Brasília e outras partes do país, onde visitará outras culturas até o término da viagem, sexta-feira.

Campo Experimental Izidoro Bronzi

Localizado em uma área arrendada de cinco hectares pela ACA, o início de suas atividades se deu em 2009, com o objetivo de fomentar pesquisas nas diversas áreas da cafeicultura, com ênfase nos trabalhos de irrigação, tratos nutricionais, tratos fitossanitários e culturais, além do melhoramento genético e qualidade do café.

Desenvolvido em parceria com a Fundação Procafé, Ministério da Agricultura, Universidade de Uberaba e Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café, o Campo abriga 30 trabalhos experimentais envolvendo pesquisas técnicas de irrigação, nutrição, podas, fisiologia, vegetal, variedade, defensivos agrícolas, testar produtos, dentre outros.

Fonte: Ascom/PMA

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Programa Música Minas acontece em Araguari com oficinas gratuitas do projeto 'Uganga Oficinas Musicais'

Voltadas aos músicos da cidade e região, as oficinas da banda araguarina Uganga serão realizadas no Vitrola Ambiente Cultural , nos dias 01, 2 e 5 de fevereiro                                       


Em fevereiro, Uganga lança seu primeiro DVD, "Manifesto Cerrado", que reúne documentário de longa-metragem e show inédito. O projeto foi financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari 
e celebra os 20 anos de carreira da banda. Foto: Divulgação

Depois de ter visitado a Europa e várias cidades no Brasil, inclusive com shows ao lado do Exodus e Coroner, a turnê em divulgação ao álbum "Opressor", da banda araguarina Uganga, chegou ao fim no último mês de dezembro. Foram cerca de 50 shows, entre eles duas das últimas datas que a banda realizou no Nordeste no Festival DoSol em Mossoró/RN e no Good Times Pub Bar em Campina Grande/PB. 





A oportunidade do Uganga encerrar a turnê de "Opressor" no Nordeste surgiu a partir do patrocínio do "Programa Música Minas", iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, por intermédio da Secretaria de Estado de Cultura, que visa apoiar a cadeia criativa e produtiva da música mineira.  

De acordo com o baterista Marco Henriques, iniciativas como o Programa Música Minas são essenciais para grupos como o Uganga poderem viabilizar projetos de circulação e difusão.

"O Brasil é um país territorialmente muito grande e nem sempre as condições são favoráveis para se realizar projetos de circulação em todos os estados brasileiros. Iniciativas como o Música Minas ajudam muito nesse sentido, beneficiando não só os artistas patrocinados mas todo o público em geral ao democratizar o acesso a cultura", disse o baterista.  

Como contrapartida ao incentivo recebido pelo Música Minas, os seis integrantes do Uganga realizam nesta semana em Araguari, no Triângulo Mineiro, uma série de oficinas musicais. Serão quatro oficinas gratuitas diferentes: Guitarra, Contrabaixo, Bateria & Percussão e Estética/Métrica Vocal e Produção Musical. Todas serão ministradas pelos próprios integrantes do Uganga e baseadas nas experiências reais e bem-sucedidas vividas com a banda ao longo de mais de 20 anos de carreira.

As oficinas serão realizadas no Vitrola Ambiente Cultural (Rua Rui Barbosa, 103 - Centro - Araguari), nos dias 01, 2 e 5 de fevereiro, de acordo com a seguinte prograamação:

01/02 das 19:00 às 21:00 - Guitarra com Christian Franco, Thiago Soraggi e Maurício "Murcego" Pergentino;

02/02 das 19:00 às 20:30 - Contrabaixo com Raphael "Ras";

02/02 das 20:30 às 22:00 -  Bateria e Percussão com Marco Henriques;

05/02 das 18:00 às 20:00 - Estética/Métrica Vocal e Produção Musical com Manu "Joker" Henriques + Pocket-Show do Uganga.

As oficinas são voltadas aos músicos da cidade e região e ainda é possível se inscrever através do email ugangabr@gmail.com ou pelo telefone (34) 3241-0125. Para se inscrever basta informar nome completo, RG, CPF, endereço, telefone e a oficina desejada. 

Sobre o Uganga:

Vinte anos de estrada, quatro álbuns de estúdio, um álbum ao vivo e duas turnês européias. Esses números são suficientes para creditarmos ao Uganga o título de uma das bandas de thrashcore mais importantes do país. Seu mais recente trabalho de estúdio, o disco "Opressor" recebeu declarações super calorosas da imprensa como: "Melhor trabalho não somente da banda, mas do gênero no Brasil" (Outro Indie); "Elite do Thrashcore nacional" (Som Extremo); "Merece estar cada vez mais no topo do metal nacional" (Mondo Metal); "Bombástico" (Revista Roadie Crew); "Avassalador" (Musikkaos); "Thrashcore de altíssima qualidade" (Delfos). "Opressor" também foi eleito "Melhor Álbum Nacional de Rock de 2014" em votação realizada entre os leitores do blog Heavynroll.  

De "Opressor", o Uganga disponibilizou três trabalhos audiovisuais:
Videoclipe de "Guerra": http://www.youtube.com/watch?v=hK1rn6XxywU

Videoclipe de "Casa": https://www.youtube.com/watch?v=k8UFjEcBJC4

Lyric-video da faixa "O Campo": https://www.youtube.com/watch?v=i9ogveRWGdQ 

Ainda em fevereiro o Uganga lança seu primeiro DVD, "Manifesto Cerrado", que reúne documentário de longa-metragem e show inédito. O projeto foi financiado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) de Araguari e celebra os 20 anos de carreira da banda araguarina.

Um teaser do DVD está disponível - https://youtu.be/9Eajzaa1C4E - bem como um vídeo da música "Couro Cru" com cenas do show que acompanha o trabalho: https://youtu.be/mIlB0CePZ2A 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Decreto estadual garante respeito ao nome social de transexuais, travestis e transgêneros

Determinação assinada pelo governador Fernando Pimentel, divulgada no Diário Oficial deste sábado (28/1), assegura o reconhecimento do nome social em todo o âmbito estadual              

Foto: Agência Minas/Reprodução






Por AGÊNCIA MINAS - Minas Gerais reafirmou, neste sábado (27/1), no Diário Oficial Minas Gerais, o compromisso com as políticas de promoção e proteção de direitos humanos e cidadania. Por meio de decreto, o governador Fernando Pimentel garantiu que, em todos os segmentos da administração pública estadual, travestis e transexuais poderão utilizar o nome social e terão reconhecida a sua identidade de gênero.

O nome social, vale lembrar, refere-se à forma como a pessoa travesti ou transexual se identifica e é socialmente reconhecida. E, de acordo com o coordenador Especial de Políticas de Diversidade Sexual da Sedpac, Douglas Miranda, o reconhecimento do nome social vai, justamente, contribuir e fazer com que essas pessoas tenham mais cidadania.

"O aspecto importante do decreto é garantir e respeitar o cidadão da forma como ele se reconhece", aponta. "O governador, ao assinar o decreto, ordena a todas as secretarias, fundações e órgãos que o nome social tem que ser respeitado na estrutura do Governo", completa.

A publicação acaba por atender, também, a um pedido protocolado por movimentos e organizações que defendem os direitos LGBTs junto à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) na última quarta-feira (25/1).

A representante do Instituto Pauline Reichstul, Gisela Lima, por exemplo, fez parte do grupo de lideranças que pleiteou a publicação do decreto após reuniões e debates com o Estado, por meio da Sedpac e outras secretarias.

"O nome social foi reconhecido no final do Governo Dilma Rousseff e, no ano passado, nos últimos dias da gestão de Márcio Lacerda na Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. Para ficar melhor, faltava a determinação também no Governo do Estado", aponta.

Segundo Gisela, os avanços poderão ser identificados, por exemplo, no contexto da educação e da saúde. Nas escolas, lembra ela, a evasão escolar por conta da discriminação é alta e pode vir a ser reduzida com o reconhecimento do nome social.

"Na questão da saúde, as pessoas terão mais autonomia e encorajamento para ir a um posto de saúde, Nem que seja por uma simples dor de cabeça", observa. "O decreto terá grande impacto social na vida de pessoas travestis e transexuais. Garante a essas pessoas a autonomia de sair da mesmice de guetos e passar a ocupar espaços que eram negados o tempo todo", acrescenta.

Para a servidora estadual Mel Ribeiro, da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), a medida é bastante válida para as pessoas. "É uma forma de preservá-las e fazer com que elas se sintam menos invadidas", destaca Mel. Em sua secretaria, inclusive, ela já tinha o nome social respeitado e reconhecido. Em seu crachá, é o nome social que a identifica. "É uma questão de privacidade", finaliza.

Na prática

Pela publicação, os órgãos da administração pública estadual terão, a partir da data de publicação do decreto, 180 dias para realizar e promover adaptações, capacitações e regulamentações para a que a determinação esteja devidamente inserida no contexto do Governo de Minas Gerais.

Vale lembrar que, pelo decreto, as pessoas travestis e transexuais que desejarem utilizar nome social perante a administração pública deverão apresentar requerimento ao órgão competente. Já os órgãos estaduais deverão se adaptar para as seguintes situações:

- documentos administrativos deverão conter também o campo 'nome social', juntamente com o campo 'nome civil', para utilização pelas pessoas interessadas;

- certidões, prontuários e documentos do gênero também deverão ser expedidos com a menção ao nome social (quando este constar dos requerimentos), e dos nomes social e civil quando necessário ao atendimento de suas finalidades legais;

​- agentes públicos travestis e transexuais poderão utilizar o nome social, mediante requerimento, nas seguintes situações: 1) cadastro de dados e informações de uso social; 2) comunicações internas e correios eletrônicos; 3) identificação funcional de uso interno; 4) listas de ramais telefônicos, endereços e organogramas de cargos; 5) identificação de usuário em sistemas de informática.

Ações e avanços

A determinação estadual segue a linha de ações já desenvolvidas pelo Estado desde o início da gestão de Fernando Pimentel, inclusive com a criação da Sedpac e o desenvolvimento e reforço de políticas públicas para preservação e respeito ao público LGBT.

No intervalo de um ano e oito meses, destaca o coordenador Especial de Políticas de Diversidade Sexual da Sedpac, Douglas Miranda, o Estado debateu bastante sobre a temática, como na Conferência Estadual de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT, por exemplo. Neste espaço, inclusive, complementa o coordenador, vieram muitas propostas para a construção de uma política pública inclusiva, com participação social.

“Naquele mesmo momento, o Estado aderiu à campanha Livres&Iguais da Organização das Nações Unidas (ONU). Foi importante para Minas Gerais, que entrou no cenário internacional e, com isso, vieram várias articulações e construções das políticas de visibilidade e a igualdade para lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros”, reforça. A estratégia da ONU, cabe ressaltar, envolve pessoas em diálogos globais para construção da cidadania da população LGBT e gerar apoio a medidas para proteger e promover seus direitos.

No contexto da proteção à população LGBT, uma das conquistas foi a viabilização, em Minas Gerais, no âmbito da Segurança Pública, dos formulários do Registro de Eventos de Defesa Social (Reds), nome atual para os antigos Boletins de Ocorrência. Há pouco mais de um ano, os formulários ganharam campos predefinidos para anotação do nome social, orientação sexual e de identidade de gênero.

“Além disso, foram criados diversos espaços de participação, seguindo a diretriz de ouvir para governar. Nunca tivemos tantas pessoas LGBT trazidas para o espaço do Governo”, afirma Miranda. Um exemplo é a criação do Comitê Técnico de Saúde Integral da População LGBT. Com participação efetiva de representantes do movimento social LGBT e de áreas técnicas da SES-MG, Sedpac e SEE o Comitê formula e propõe, desde fevereiro de 2016, diretrizes de ação governamental voltadas para o enfrentamento à discriminação, promoção da saúde integral e defesa dos direitos.

Destaque, também, para um convênio firmado pela Sedpac com o Instituto Pauline Reichstul para desenvolver o projeto Protagonismo LGBT no contexto de Minas Gerais. A iniciativa tem por objetivo a formação de militantes para que conheçam a política pública por meio do debate e de um curso. “Com a participação de mais de 30 cidades, estão sendo formados entre 30 e 32 militantes, para, entre outras ações, desenvolver estratégias de comunicação nos Territórios de Desenvolvimento”, afirma Miranda.

O Governo de Minas Gerais aprovou, ainda, um projeto junto à Embaixada do Reino dos Países Baixos no Brasil para produção de um vídeo institucional. Com repercussão internacional, a peça audiovisual foi integrada à campanha Livres&Iguais e produzida em parceria com a ONU. O vídeo sensibiliza para o enfrentamento à LGBTfobia e aborda a questão do respeito aos direitos humanos, o enfrentamento à violência, preconceito e discriminação contra essas pessoas. Confira o vídeo a seguir:



Há diversas outras ações realizadas e em desenvolvimento focadas no público LGBT. Os interessados podem acessar outras informações e especificidades na página da Sedpac, no endereço www.direitoshumanos.mg.gov.br.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Com instalação de escritório em Araguari, SEBRAE amplia atuação junto aos empresários da cidade

Baseado na ACIA, o SEBRAE oferece atendimento gratuito a empresários e empreendedores, por meio de consultoria especializada, entre outras soluções oferecidas                   

As instalações do SEBRAE na sede da ACIA. Foto: Divulgação/ACIA-SEBRAE Minas

Fundado em novembro de 2016, o Escritório do SEBRAE está com suas atividades em pleno funcionamento na sede da Associação Comercial e Industrial de Araguari - ACIA.

A economista Beatriz Bertoldo, analista técnica do
SEBRAE Minas, responsável pelo escritório de
Araguari.
Foto/Divulgação/ACIA-SEBRAE Minas
É a concretização de um antigo anseio da cidade, em especial da ACIA, para atender empresários e empreendedores na gestão e desenvolvimento de negócios, por meio de consultoria especializada e realização de minicursos e palestras, entre outras soluções oferecidas.

Com atendimento gratuito, o trabalho de consultoria está aberto a toda comunidade empresarial. É realizado em espaço próprio no recinto da ACIA, com horário marcado mediante agendamento prévio, que pode ser feito pessoalmente na secretaria da entidade, à Avenida Tiradentes, 35, ou pelo telefone 3241-6939.

Entre os temas de consultas disponíveis estão a análise, orientação e esclarecimentos sobre Finanças, Recursos Humanos, Legislação e Marketing, com o propósito de auxiliar desde o empreendedor que pretende abrir seu primeiro negócio até pequenas empresas que já estão consolidadas e buscam um novo posicionamento no mercado.

“Hoje, Araguari conta com, aproximadamente, 6,5 mil empresários entre microempreendedor individual (MEI), microempresa e empresa de pequeno porte. Ainda temos cerca de 700 produtores rurais. São números expressivos e que demonstram a importância desse público estar bem orientado para gerir seus negócios”, destaca a analista do Sebrae Minas em Araguari, Beatriz Bertoldo.






ATUAÇÃO

O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) é uma entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte.

Há mais de 40 anos, atua com foco no fortalecimento do empreendedorismo e na aceleração da economia por meio de parcerias com os setores público e privado, programas de capacitação, acesso ao crédito e à inovação, estímulo ao associativismo, feiras e rodadas de negócios.

Para o presidente da ACIA, Carlos Antônio Vieira, a instalação do SEBRAE em Araguari vem de encontro às expectativas de fortalecimento da economia local e marca um novo tempo de conquistas para os empresários e empreendedores do município. “É uma honra para os diretores e associados sediar o Escritório SEBRAE em nossa entidade, assim como é grande a nossa satisfação de participar e promover a consolidação da parceria dessa importante instituição com Araguari”, disse o presidente da ACIA.

Painel na fachada da ACIA sinaliza a presença do SEBRAE Minas em Araguari. 
Foto: Divulgação/ACIA-SEBRAE Minas


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Sala do Empreendedor de Uberaba recebe representantes de Araguari


A Sala do Empreendedor, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Uberaba, recebeu na última quinta-feira (19), uma equipe da cidade de Araguari, composta pelo novo secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da cidade, Juberson dos Santos Melo, o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Araguari - ACIA, Leonardo Daher de Melo, acompanhados de uma representante do Sebrae da cidade, Beatriz Marques Bertoldo, e o analista do Sebrae de Uberaba Marcius Marques Mendes. O grupo esteve em Uberaba para conhecer o funcionamento da Sala do Empreendedor.





O gerente da Sala, Elder Árcega apresentou todo o projeto, mostrando a demanda da cidade e pontuando como foi realizada a implantação do espaço, que hoje atende aos micro e pequenos empresários da cidade. “A visão empreendedora do prefeito Paulo Piau continua trazendo resultados percebidos em todo o Estado. Uberaba criou um novo modelo de relacionamento entre prefeituras e pequenos empresários. O serviço tem dado muito certo, tanto que temos tido o reconhecimento da população que usufrui do espaço da Sala e do Sebrae, que tem em todo o território nacional, reconhecimento, e tem apresentado o projeto de Uberaba como um modelo a ser seguido pelas cidades de Minas Gerais”, destaca Árcega.

Uma comitiva de Araguari já esteve na cidade iniciando um primeiro contato com o projeto, porém com as eleições, o governo mudou, e a nova gestão se mantém interessada em implantar o projeto na cidade e teve o novo secretário visitando Uberaba para conhecer mais sobre a iniciativa daqui.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Uberaba, José Renato Gomes, a Sala do Empreendedor foi uma iniciativa de muito sucesso implantada pelo prefeito e que tem apenas colhido frutos positivos e se consolidando cada vez mais como um modelo para todo o Estado.

“Estamos recebendo a visita de diversos municípios mineiros, como Paracatu, João Pinheiro, Arinos, Uberlândia e Araxá. Vamos receber dentro dos próximos meses as cidades de Patos de Minas e Patrocínio, além de que Araxá voltará na próxima semana para se inteirar dos procedimentos da Sala. O prefeito sempre pontuou que o município cresce mais forte com o fortalecimento de toda a região e é uma honra para Uberaba dividir nossas boas práticas com outras cidades e um orgulho ter se tornado referência em Minas quando o assunto é empreendedorismo”, pondera Gomes.


Jorn. Natália Melo
Comunicação Prefeitura de Uberaba
Foto: Enerson Cleiton

sábado, 21 de janeiro de 2017

Aloisio Nunes de Faria

Inocêncio Nóbrega: O Marques de Jango

Inocêncio Nóbrega
Jornalista
inocnf@gmail.com

Inocêncio Marques de Araújo Góis, meu xará, Barão de Araújo Góis, segundo o genealogista Luís Antonio Alves, foi agraciado com esse título da nobreza, numa relação de centenas de nomes. Trata-se de um ardil do Império, a fim de manter equilibrado seu poder, numa política de governo obscurantista, diante das classes sociais mais baixas.  Não obstante os Marques, para uns de origem portuguesa, sejam considerados uma das estirpes mais populares do Brasil. Ainda, a respeito desse sobrenome, esse experimentado cientista gaúcho, no seu livro “Memorial Açoriano”, para quem a índia Bartira é a mãe comum dos brasileiros, dedica estudado comentário: “Marques, de formação patronímica, são os filhos de Marcos. Pelos anos de 1100 Marquiz, Marquez, cortesão tirado do baixo latim Marquici, de Marcus (nominativo)”. Aplica-se-lhe o fonema Marco a personagens históricos: Antonio Marco Tullio, Marco Aurélio, Marco Polo, se o analisarmos dentro do contexto semântico, conforme explicita.





Provavelmente, cada região patrícia tem seus Marques. Sob essa lógica o arguto historiador paraibano, já falecido, Dorgival Terceiro Neto, nos brindou excelente artigo (está no “Correio da Paraíba”, ed. 18.01.1913) invocando a personalidade do ex-presidente da República João Belchior Marques da Silva Goulart. Na sua retrospectiva o “Marques da Silva” advém de clã sertanejo desse estado. Entre Sousa e Pombal nasceu Benedito Marques da Silva Acauã, bacharelando-se em Direito, em 1836, pela Faculdade de Olinda, Pernambuco.  Acauã era fazenda de propriedade da família, onde morava o padre Luiz José, da Revolução de 1817, seu tio-avô; intelectual, advogado e deputado geral. 

Do matrimônio com Cândida Benedito Nobre da Silva – prossegue Dorgival – nasceram Benedito (herdou nome do pai) e Manoel Marques da Silva Acauã, seguindo a carreira médica, e o primeiro, ciências jurídicas, que atuou em Minas Gerais, porém indo a encontrar seu irmão, no Rio Grande do Sul. Vamos vê-lo na magistratura de Soledade (RS), em 1873, cujo distrito integrava à Comarca de Passo Fundo. Seu sucessor, Sr. José Ferreira Nobre Formiga, também era paraibano. 

Benedito Marques da Silva Acauan, casando-se no extremado território do país, deu lugar a enorme descendência, convergindo-se para uma nova linhagem, os Acauan, teve passagem, ainda, (1884) pela Câmara de Vereadores de Vacaria. O apelido lembra as ressequidas terras deixadas para trás, nos sertões da Paraíba. Nicácio de Lima, nos dois livros que escreveu sobre a história da Comarca de Soledade, nos ajuda confirmar a ancestralidade nordestina de Jango, cujos traços fisionômicos se confundem com os de seus parentes, descendentes do patriarca: de rostos arredondados e tez morena. Os Marques que cita, e não são poucos, galgaram posições de destaque nas diversas áreas da sociedade sul-riograndense. 

O então Chefe da Nação visita a Paraíba no segundo semestre de 1963, a fim de participar de uma reunião das Ligas Camponesas e inaugurar, na cidade de Sapé, um Conjunto de Casas Populares. Talvez não tivesse ciência que pisasse o solo de seus ascendentes maternos. Tampouco que nesse momento oficiais da Base Aérea de Fortaleza conspirassem contra sua pessoa, pretendendo derrubada do avião em que viajava, radical ação essa prontamente desfeita por outros militares e membros influentes da política nacional, presentes a um encontro entre eles. A popularidade dos Marques, sem dúvida ficou marcada pelo trabalho de João Goulart, em favor dos menos afortunados.